Empresários e rodoviários continuam desafiando as autoridades e o movimento é por reajuste de passagem

O movimento que empresários e rodoviários vêm fazendo com constantes paralisações de serviços por empresas e causando sérios prejuízos para a população é sério, grave, desafiador e está acusando indignação na população. Diante da indiferença das autoridades para o sério problema quem vem sendo de maneira bem orquestrada em busca dos objetivos que é o reajuste das tarifas, poderá resultar em revolta popular e quando o caldo derramar, não venham os responsáveis pela prática e a omissão com desculpas.

Os empresários são bem alinhados com a Prefeitura de São Luís e parceiros dos rodoviários. Os empresários dizem que estão operando no vermelho e não estão tendo arrecadações para honrar compromissos e o primeiro é o pagamento de pessoal e em seguida deixam de atender os demais compromissos de acordos coletivos de trabalho. No outro lado da ponta, os rodoviários fazem manifestações e piquetes em garagens, e o resultado é punição com desrespeito a população dos mais diversos bairros de São Luís.

Se o transporte coletivo funcionando normalmente é bastante deficiente, com a suspensão dos serviços em qualquer bairro, o problema assume proporções de precariedade e o caos se instala dentro dos demais segmentos produtivos da cidade.

Se o Ministério Público do Trabalho, a própria Justiça do Trabalho e a  Prefeitura de São Luís soubessem se impor quanto a defesa dos direitos da população, a  bandalheira de empresários e rodoviários já teria cessado. Pelo visto e diante de tanta omissão, o que se pode deduzir é que haja uma revolta popular, o que não está descartado, diante de tanta sacanagem e afronta que faz com as populações das centenas de comunidades de São Luís dependente um serviço precário e sem qualquer identidade com as comunidades a quem servem sem um mínimo de qualidade e que fazem delas seus meios de exploração do qual fazem parte os rodoviários e as omissas autoridades, sempre tendenciosas aos dominantes. Pelo que se sabe, existem articulações para o reajuste das tarifas de coletivos, que segundo comentários de bastidores está previsto para o próximo mês de fevereiro.

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *