Subsecretário da SEAP agride servidores idosos do Sistema Penitenciário em reunião com o titular da pasta

Tenho afirmado que o Sistema Penitenciário é marcado pelas farsas da ressocialização e por desrespeitos aos direitos trabalhistas dos agentes penitenciários e auxiliares terceirizados. A todos, apesar dos riscos de vidas todos os dias, são lhes negados insalubridade e risco de vida e ainda sofrem assedio moral para que não cobrem direitos sob pena de demissão. O interessante dentro do contexto é que existe um Núcleo de Fiscalização e Monitoramento do Sistema Carcerário do Tribunal de Justiça do Maranhão, que infelizmente não adota as providências necessárias, dentro dos princípios emanados de lei e da justiça para a correção da séria distorção. Os agentes temporários fazem parte das informações ao Conselho Nacional de Justiça, quanto ao número adequado de agentes penitenciários em relação aos presos com um número de 2.875 agentes para 9.448, de acordo com a última informação do G1. Na realidade o Maranhão tem apenas 665 agentes penitenciários concursados e que se enquadram dentro dos princípios emanados do Conselho nacional de Justiça.

Reunião para denegrir servidores idosos

Há poucos dias, o secretário Murilo Andrade dirigiu uma reunião com os diretores de unidades prisionais em São Luís, quando fez inúmeras cobranças administrativas. Inesperadamente ele passou a palavra para o subsecretário Rafael Velasco, que sem qualquer princípio de valor e de respeito aos presentes e de maneira intempestiva e gratuita passou a se referir aos funcionários antigos do Sistema Penitenciário, integrado por profissionais do mais respeitável pelas suas experiências e contribuições relevantes para o desenvolvimento do sistema. Rafael Velasco, dando demonstração clara de não ter a mínimo preparo para o exercício de um cargo da maior importância qualificou os servidores idosos como entulho e até improdutivos e outros adjetivos, chamando a atenção dos diretores de unidades sobrea aplicação de  possíveis pressão sobre eles, insinuando até um assedio moral. A verdade é que os servidores antigos por acumularem vários direitos, ganham um salário melhor e fornecem informações preciosas para os atuais dentro do que concerne ao serviço público, o que estaria contrariando o subsecretário e o titular da pasta da SEAP.

Tudo foi feito com a presença do secretário Murilo Andrade, que demonstrou claramente apoiar tudo o que o seu subordinado afirmou e insinuou. Os diretores de unidades não tiveram oportunidade de se manifestar, mas comunicaram o fato ao conhecimento dos servidores idosos como advertência de perseguição, o que ficou demonstrado na reunião e que pode ser perfeitamente materializado diante do desrespeito e farsas com prepotência e arrogância bem inerente ao atual governo e aplicado arbitrariamente no Sistema Penitenciário do Maranhão.

 

Tiago

O quadro de auxiliar penitenciário estão trabalhando a 4 anos recebendo um salário de miséria, e sem aumento a 4 anos sem direito a nada mais do que 1.280 reais. Trabalhando domingos,e feriados numa escala exaustiva de 12 por 36 um verdadeiro trabalho escravo do século 21 e o governador não faz nada ….

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *