Estevão Aragão denuncia caos na saúde municipal e destaca precariedades no Socorrão e Hospital da Criança

Os cenários do Socorrão 1 e da Hospital da Criança são deploráveis, afirma o vereador Estevão Aragão
Os cenários do Socorrão 1 e da Hospital da Criança são deploráveis, afirma o vereador Estevão Aragão

Estevão Aragão criticou seriamente o desrespeito a dignidade humana no Socorrão, em que um paciente caiu de uma maca e morreu e nas crianças que são internadas, mas são obrigadas a ficar com cobertores acomodadas no chão.

O vereador Estevão Aragão (PSDB) usou a tribuna, na sessão plenária desta segunda-feira (21), para denunciar o caos instalado na saúde pública de São Luís e chamou a atenção, principalmente, para a situação dos pacientes e seus acompanhantes do Hospital da Criança. Segundo ele, os relatos de mães e filhos deitados no corredor da unidade continuam frequentes.

“Temos vários vídeos comprovando que as crianças dormem no chão. Eu me pergunto: Como é que o prefeito, que se diz cristão, deixa essas inocentes crianças deitadas no chão de um hospital?”, questionou o parlamentar, citando ainda a questão dos alagamentos. “A Prefeitura já está se encaminhando para o 6º ano de gestão e é sempre a mesma coisa. Quando chove, alaga!”, disse.

No seu pronunciamento, Estevão Aragão lembrou que as obras do Hospital da Criança deveriam ter sido concluídas em 2016, mas foram adiadas para fevereiro deste ano. “Já estamos quase no meio do ano e eu desafio qualquer pessoa a mandar uma foto de algum trabalhador”, provocou.

O vereador continuou o seu discurso propondo que o Executivo invista mais na área da Saúde. “Gostaria que fossem retirados os R$ 20 milhões do orçamento da Comunicação ou os mais de 30 milhões da reserva de contingência ou, pelo menos uma parte, dos empréstimos aprovados por esta Casa, para serem destinados ao Hospital da Criança”.

 Despesa pessoal

 Ainda na tribuna, Estevão Aragão apresentou o número de servidores lotados na saúde de São Luís, que chega a 6.513, entre funcionários da própria secretaria municipal, Samu, Socorrão, agentes de saúde e agentes de endemias. A informação foi obtida no Portal da Transparência, por sua equipe de gabinete.“Eu cheguei a solicitar esses dados através de requerimento, porém, tive meu pedido negado pela maioria dos meus colegas parlamentares. Com esse tanto de funcionário a saúde daqui deveria ser de primeiro mundo, mas está muito longe de, sequer, ser melhorada”, acentuou.

 Ao finalizar, Estevão Aragão falou sobre o convênio firmado entre Ministério da Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde para ampliação das unidades de urgência e emergência, celebrado no ano de 2012 e que termina em dezembro de 2018, no valor de pouco mais de R$ 2 milhões.” Apenas R$ 977 mil foram usados. Então, não sei para onde vai esse dinheiro, porque para a saúde não é”, finalizou o vereador, ao mesmo tempo que cobrou da base governista uma data definitiva para a inauguração do Hospital da Criança.

José de Ribamar Lopes Silva

Não só a saúde municipal, mais principalmente a saúde do estado, pois no hospital de câncer Dr. Tarquínio Lopes Filho, antigo hospital geral, não tem nem toner para que as máquinas copiadoras possam trabalhar, estão todas paradas, por falta de fornecimento por parte da SES/MA, não tem papel, copos descartáveis, nada. E para completar está existindo uma perseguição com os colaboradores e servidores que trabalham la. Uma humilhação danada, por todas as coordenadoras de setores, principalmente aquelas que tiveram indicação política recentemente, como é o caso da coordenadora das recepções do hospital.

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>