Pedido de Edivaldo Holanda Jr para empréstimo de R$ 100 milhões ao Banco do Brasil foi retirado de pauta para não ser derrotado na Câmara

                aldir

A sessão de hoje da Câmara Municipal de São Luís foi bastante movimentada depois de vários dias turbulência. A pauta foi invertida proposta pelo presidente Astro de Ogum, quando foi colocado em pauta o Projeto de Lei 039/18 do Executivo Municipal Acompanhada da Mensagem 004/18, que altera a Estrutura Orgânica da Administração Pública do Poder Executivo do Município e dá outras providências.

                   Na verdade, o prefeito de São Luís, dentro do contexto queria a criação da Secretaria Municipal de Cultura e corte de cargos da administração direta e indireta. Os debates foram bastante acirrados com os vereadores Marcial Lima e Estevão Aragão se posicionado contra, em razão de inúmeras observações da falta de compromisso do prefeito com a cultura e o turismo ludovicense. Não é uma secretaria que vem a ser criada depois de quase seis anos à frente do executivo municipal, que vai fazer o prefeito mudar a atual realidade. Eles destacaram que o prefeito não tem sensibilidade para cultura, dificultando repasses nos períodos de São João e Carnaval, além de não ter projetos para alavancar o turismo em nossa capital.

                    Durante a votação, Marcial Lima e Estevão Aragão mantiveram os seus posicionamentos e o vereador Cézar Bombeiro, apesar de ser favorável criticou os cortes que serão feitos na Guarda Municipal. Apesar das inúmeras discussões a criação da Secretaria Municipal de Cultura foi aprovada nas duas votações.

                     Logo em seguida foi colocado em pauta Projeto de Lei do Executivo Municipal 006/18 acompanhado da Mensagem 002/18, que autoriza o Poder Executivo a contratar operação de crédito de R$ 100 milhões com o Banco do Brasil. A justificativa é que os recursos serão destinados para a aplicação na mobilidade urbana e infraestrutura da cidade de São Luís.

                      O pedido de empréstimo de R$ 100 milhões de reais em pleno período eleitoral é mais uma tentativa da prefeitura de São Luís aplicar um novo estelionato politico na população da capital, a exemplo do que ocorreu na reeleição do atual prefeito com o programa Mais Asfalto, disseram vários vereadores, considerando que se a Câmara Municipal autorizar o empréstimo, ela será conivente com os atos do prefeito.

                       Vários vereadores da base de sustentação do prefeito temeram em dar aval e as repercussões perante a sociedade. Diante do clima de incerteza com tendências de que o pedido de empréstimo seria barrado pelo plenário, o presidente Astro de Ogum imediatamente o retirou da pauta e encerrou a sessão. Alguns vereadores estiveram conversando para atentar sobre o retorno do pedido de empréstimo voltar para ser votado pelo plenário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *