Investigação da Policia Federal pode chegar às licitações viciadas dentro do Sistema Penitenciário do Maranhão

        aldir

  A decisão do Ministério Público Federal em solicitar à Policia Federal a instauração de inquérito policial para apurar as suspeitas de vazamento de informações relacionadas à Operação Turing. Deflagrada no dia 21de março. Procuradores da República admitem que a exoneração do agente da polícia federal Danilo dos Santos Silva, o principal investigado da operação e que ocupava o cargo de Secretario Adjunto de Administração, Logística e Inovação da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária, tenha sido vazada para órgãos, setores ou pessoas ligadas ao Governo do Estado.

           Danilo dos Santos Silva era o gestor mais influente que havia na Secretaria de Estado da Administração Penitenciária, inclusive acima do titular da pasta e era quem fazia todo tipo de articulação relacionada a obras na capital e no interior com um grupo seleto de construtoras, dentre as quais a conhecida VTI, que ampliou os tentáculos na atual administração estadual, sem deixar de fazer o registro de que no último ano do governo passado, ele chegou a ter quatro contratos, bastante valorizados e chegava a receber recursos adiantados.

          Durante as investigações para a deflagração da Operação Turing, a Policia Federal conseguiu apurar importantes informações de ligações do agente federal Danilo dos Santos Silva com donos das empresas favorecidas em licitações viciadas. O que começou a ficar configurado era que o Secretario Adjunto chegava impor regras e que no exercício de 2016, os negócios com empreiteiras em que ele esteve à frente chegaram a 40 milhões de reais, recursos que seriam provenientes do Departamento Penitenciário Nacional e do BNDES. Diante da gravidade dos fatos foi que a Policia Federal solicitou a Justiça Federal a realização de busca e apreensão na sede da Secretaria de Administração Penitenciária e mais precisamente no setor dos negócios em que envolviam o agente federal e os donos de empreiteiras.

           O juiz federal Magno Linhares, que autorizou a Operação Turing, excluiu a busca e apreensão dentro do Sistema Penitenciário, mas deixou bem claro, que não era da competência da justiça federal apurar os fatos graves registrados dentro da SEAP.

            Apesar dos fatos públicos terem mostrado a existência de corrupção dentro da SEAP, o secretário Murilo Andrade se mantém em silêncio obsequioso e o governador Flavio Dino, que prega transparência e cobra moralidade dos seus antecessores, tem mostrado total indiferença para os fatos, mas foi rápido na exoneração do agente federal Danilo dos Santos Silva. Finalmente a Procuradoria Geral de Justiça demonstra não ter qualquer conhecimento dos fatos, muito embora tenha sido bastante determinada e vigilante para outros fatos. A verdade é que diante das informações que a Policia Federal tem e rastreamento, tudo o que querem encobrir por interesses políticos, podem vir a público.

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>