O SINTSEP vem pedindo auditorias no FEPA e FUNBEN antevendo o rombo do Governo do Estado

CleinaldoBil Lopes, presidente licenciado do SINTSEP e coordenador do Fórum das Carreiras do Poder Executivo, juntamente com os dirigentes de 16 sindicatos de categorias do Estado continuam bastante preocupados com o futuro do FEPA eFUNBEN

 

O sindicalista CleinaldoBil Lopes, presidente licenciado do SINTSEP e da coordenação do Fórum de Defesa das Carreiras do Poder Executivo do Serviço Público do Estado do Maranhão, desde janeiro do ano passado vinha pedindo arealização de auditorias no FEPA e FUNBEN, de acordo com expediente encaminhadoao Procurador Geral do Tribunal de Contas do Estado, Douglas Paulo da Silva, no dia 10 de janeiro de 2017.

No dia 23 de maio de 2017, o SINTSEP e o Fórum de Defesa das Carreiras do Poder Executivo fizeram solicitação de demonstrativos de receitas e despesas do FEPA e FUNBEN, ao Conselheiro do CONSUP, Márcio Tadeu Silva Marques, destacando informações atualizadas das Receitas e Despesas do Regime Próprio da Previdência dos Servidores Públicos do Estado – FEPA, com observância ao primeiro trimestre de 2017, inclusive com receitas oriundas da locação de imóveis e outros bens patrimoniais do fundo, estendendo também a solicitação sobre o FUNFEN no mesmo período.

Idêntico pedido foi feito no dia 23 de maio de 2017, ao Secretário Adjunto de Seguridade dos Servidores Públicos Estaduais do Maranhão, Ivaldo Fortaleza, destacando inclusive o direito de acesso as informações conforme preceitua a Lei nº 9.717, de 1998, conhecida como a Lei Geral dos Regimes Próprios de Previdência Social.

O SINTSEP e o Forum de Defesa das Carreiras do Poder Executivo, no sentido de evitar postergações e o conhecido empurra, encaminhou expediente à Secretaria de Estado de Gestão e Previdência do Maranhão, Lilian Régia Gonçalves Guimarães, tratando das mesmas solicitações feitas ao Secretário Adjunto sobre o FEPA

e o FUNBEN, exatamente no dia 23 de maio de 2017

 

 

                    aldir

  SINTSEP e Fórum reiteraram solicitações e fizeram denuncia ao Ministério Público da Probidade Administrativa

Diante da negativa de informações da Secretaria de Estado de Gestão e Previdência do Maranhão e também Presidente do Conselho Superior do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria – CONSUP, Lilian Régia Gonçalves Guimarães e do Secretário Adjunto de Seguridade dos Servidores Públicos Estaduais – SASEG, Ivaldo Fortaleza, foi que o SINTSEP e o Fórum das Carreiras decidiram denunciar as instituições ao Promotor de Justiça da Promotoria de Probidade Administrativa.

O pedido de providências feitas ao Ministério Público foi encaminhado pelas entidades representativas dos servidores públicos estaduais, através do Ofício nº 231/2017, com a data de 02 de agosto de 2017, destacando inclusive a questão da observância de que as informaçõessolicitadas deveriam por lei, estar claramente no Portal da Transparência do Governo do Estado.

De acordo com o presidente licenciado do SINTSEP e da coordenação do Fórum das Carreiras do Poder Executivo, o Ministério Público da Probidade Administrativa instaurou procedimento investigatório. Adiantou que em maio deste ano, ele e outros sindicalistas prestaram depoimento com amplos relatos e da preocupação da inviabilização do FEPA e do FUNBEN, com retiradas de milhões reais do patrimônio dos dois fundos, colocando em risco a aposentadoria e pensões dos servidores públicos estaduais e o FUNBEN, compromete seriamente os serviços de saúde de todos os servidores públicos em geral.

Senadora Ana Amélia propõe formula para acabar com o poder supremo dos ministros do STF

aldir

As malvadezas que estão sendo impostas à sociedade brasileira pelos ministros da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) estão a demonstrar que tudo está errado na forma de composição deste que é o órgão máximo do Poder Judiciário brasileiro.

A nossa principal Corte está composta por alguns ministros sem a mínima condição moral e intelectual de integrá-la, escolhidos mediantes conchavos e acordos políticos e com missão específica de utilizarem o cargo para proteger comparsas.

A soltura do criminoso José Dirceu e de tantos outros envolvidos em esquemas sórdidos de corrupção é um claro exemplo.Em confronto contra esta realidade, a senadora gaúcha Ana Amélia fez uma explanação na tribuna do Senado Federal, mencionando duas PECs que tramitam na casa e que poderiam, caso implementadas, manter o poder e devolver a respeitabilidade ao STF e, ao mesmo tempo, detonar a ‘tirania’ de seus membros.

As mudanças seriam as seguintes:

Acabar com a vitaliciedade do cargo, estabelecendo um prazo de 10 anos de mandato.

Para ser indicado, o cidadão não poderia ter pertencido ao poder Executivo num prazo de três anos anterior a indicação.

A indicação seria feita pelo STF, STJ, OAB, TST, Defensoria Pública, Procuradoria Geral da República e pelo próprio Senado Federal, de onde sairia uma lista tríplice que seria encaminhada ao presidente da República.

O escolhido ainda enfrentaria a sabatina do Senado Federal.

Talvez, esta ainda não seja a solução ideal, mas, pelo menos, evitaria que políticos corruptos indicassem os seus advogados para integrarem a mais alta Corte do país e garantiria uma maior rotatividade de seus membros.

 

Fonte: Jornal da Cidade Online

Gastão Vieira sai do ostracismo e ganha destaque na mídia como vítima de golpistas do whatsapp

aldir

O bacharel em direito Gastão Vieira saiu do ostracismo esta semana por ter sido vitima de golpe de bandidos de clonagem de whatsapp. Ele foi um politico influente e se tornou destaque, guindado pelo grupo Sarney. Exerceu cargos federais no Maranhão, foi Secretário de Estado e foi eleito para os cargos de deputado estadual e federal por várias legislaturas, além de ter sido Ministro do Turismo, sempre guindado pelo grupo Sarney, tendo como os seus principais padrinhos o ex-presidente José Sarney e a ex-governadora Roseana Sarney.

Apesar de todo o apadrinhamento, muitas vezes Gastão Vieira foi pego mijando fora do caco, fazendo criticas ao próprio grupo que lhe deu tudo, mas sempre acabava se revelando uma Madalena arrependida. Sempre foi perdoado, muito embora houvesse inúmeras advertências de outros integrantes do grupo, de que Gastão Vieira apesar de viver dentro do contexto tinha muita identificação com rasteira e traição, mas mesmo assim, o ex-presidente e a ex-governadora lhes davam integral apoio.

Quando da eleição de Flavio Dino, como governador do Estado e a derrota do grupo Sarney, Gastão Vieira foi um dos primeiros políticos a mostrar insatisfação, mas mesmo assim foi nomeado para o Fundo de Desenvolvimento Social da Educação. Diante de uma nova conjuntura politica em que poderia vir a ser defenestrado do FNDE, ardilosamente costurou apoio do governador Flavio Dino para continuar no cargo, com o respaldo do PCdoB, garantindo em troca apoios exigidos pelo governador. Com a defenestração de Dilma Rousseff, da presidência da república e a volta do PMDB, Gastão Vieira tentou se reconciliar com oex-partido, mas já era considerado um desertor e estranho no ninho.

 

A trajetória de um soldado que ainda não foi promovido s cabo

 

Gastão Vieira se tornou irreconhecível para os poucos amigos que lhes restou e ratificou a sua subserviência de bajulador para estar dentro do poder. Se ofereceuao Flavio Dino, para ser coordenador dos interesses do Governo do Maranhão em Brasília, que não mereceu qualquer comentário. Conseguindo a direção estadual do PROS, foi em busca de uma aproximação com o Palácio dos Leões, e nem mesmo havia chegado ensaiou uma candidatura ao Senado Federal, sendo que antes tentou ser emplacado em uma Secretaria de Estado.

A voracidade do seu oportunismo mereceu um puxão de orelha do todo poderoso Márcio Jerry, com a história de ele chegou como soldado e deverá trabalhar e lutar para ser promovido a cabo e assim conquistando outros espaços, muito embora haja uma grande resistência dentro do PCdoB contra ele, com argumento de ele pode ser visto como espião para tentar voltar ao seu grupo original.

Gastão Vieira ganhou a promessa de Márcio Jerry, de que vai ajudá-lo a ser eleito deputado federal. Embora desconfiado, acreditou na promessa, mas diante do desespero incontrolável do mandatório do PCdoB em ser o deputado federal mais votado do Maranhão, o ex-integrante do grupo Sarney vem tentando buscar apoio em antigos conhecidos que foram subestimados por ele, e todos lhes viram as costas e até se escondem quando o vêm.

 

Seguindo o CNJ a Corregedoria Geral de Justiça do TJMA revogou nomeações de 19 interinos de cartórios do Maranhão

aldir

Prédio Sede da Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão.

O Corregedor-geral da Justiça, desembargador Marcelo Carvalho Silva, assinou nesta terça-feira (17), decisão revogando 19 nomeações de interinos que atuam em cartórios do Maranhão, cujos vínculos de parentesco se enquadram nas vedações legais delineadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A decisão se deu em Pedido de Providências instaurado pela Corregedoria Nacional de Justiça com intuito de acompanhar o cumprimento da denominada Meta 15, fixada no 1º Encontro de Corregedores do Serviço Extrajudicial, promovido pela Corregedoria Nacional em 7 de dezembro de 2017.

Segundo a decisão, devem ser revogadas as interinidades das Serventias Extrajudiciais de Afonso Cunha; de Alto Alegre do Maranhão; de Cantanhede; de Fortaleza dos Nogueiras; de Lima Campos; de Matões; de Mirador; de Olho D´Água das Cunhãs; de São Félix de Balsas; de São Mateus do Maranhão; de Sítio Novo; do 4º Ofício Extrajudicial de Caxias; do 1º Ofício Extrajudicial de Colinas; do 3º Ofício Extrajudicial de Santa Inês; do 1º Tabelionato de Protestos de São Luís; do 3º Ofício Extrajudicial de Timon; do 1º Ofício Extrajudicial de Tuntum; do 1º Ofício Extrajudicial de Vitória do Mearim e do 1º Ofício Extrajudicial de Vitorino Freire.

A decisão estabelece que as portarias de revogação serão expedidas tão logo seja possível a designação de novos interinos para as serventias, a fim de que não haja interrupção nos serviços públicos prestados, inclusive para que seja feita a transição entre os interinos. “O que prevenirá prejuízos quando da transmissão do acervo e permitirá que os trabalhos transcorram de forma ordenada”, ressalta.

A decisão ainda determina a expedição de edital aos delegatários das Serventias Extrajudiciais que se encontram no raio de 300 km dos municípios listados, para que manifestem interesse em responder interinamente por alguma das serventias citadas.

META 15 – A medida derivou de Consulta aberta pela CGJ-MA junto à Corregedoria Nacional de Justiça, a respeito do cumprimento da Meta 15, que determina às Corregedorias “realizar levantamento detalhado sobre a existência de nepotismo na nomeação de interinos no serviço extrajudicial, revogando os atos de nomeação em afronta ao princípio da moralidade”.

Em resposta, a Corregedoria Nacional afirmou que deve ser revogada a nomeação dos substitutos mais antigos quando configurada ofensa aos princípios constitucionais da moralidade e da impessoalidade, mesmo diante da iminência das nomeações dos delegatários aprovados em concurso público, inclusive alcançando as interinidades deferidas em data anterior ao estabelecimento da meta; e que, ainda que a titularidade tenha sido extinta pela morte do titular dos serviços, incide a vedação ao nepotismo.

A resposta à consulta feita à Corregedoria Nacional gerou repercussão administrativa para todos os Tribunais da Federação, em caráter de normativo geral e vinculante, de acordo com voto do conselheiro Valtércio de Oliveira.

“Ressalto que as revogações de interinidade não decorrem de quebra de confiança ou qualquer mácula ao histórico de trabalho dos interinos, e sim da imperiosa necessidade de dar cumprimento à norma aprovada pelo Conselho Nacional de Justiça, constante do § 2º do art. 3º da Resolução nº 80/2009”, frisou o corregedor-geral da Justiça, desembargador Marcelo Carvalho Silva, na decisão.

 

Assessoria de Comunicação

Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão

 

Críticas da ministra Eliana Calmon à Justiça do Trabalho causam polêmica com magistrados

                    aldir

Entidades emitiram nota classificando de “mentirosa” afirmação de que a JT estaria aparelhada. A ministra em suas palestras faz criticas aos diversos segmentos do judiciário brasileiro, sem tocando em questões que geram discussões das mais diversas entidades da área do judiciário.

Uma entrevista da ministra aposentada do STJ Eliana Calmon está dando o que falar. Ao jornal Estado de Minas, Calmon afirmou que a “Justiça do Trabalho foi aparelhada pelo PT:

Eu vi de perto esse aparelhamento. Isso começou a acontecer no momento em que houve aquela ideia de acabar com a Justiça do Trabalho, e isso ia contra os interesses do sindicalismo, porque o grande e fiel escudeiro do sindicalismo é a Justiça do Trabalho. Eles viram que nenhum país civilizado tem uma Justiça do Trabalho. Então, começaram a criar conflitos e a largar o maior número de processos. Na época, aprovou-se uma lei: a cada mil processos, você criava uma vara – não sei se revogaram isso, mas estava lá. Eu era corregedora e vi isso acontecer.”

Mais adiante, a ministra sustentou que a JT é “uma justiça louca”:

Uma pequena fábrica de polpa de fruta tem quatro empregados. Um empregado entra na Justiça do Trabalho e o empregador tem uma condenação para pagar R$ 300 mil? Este pequeno empresário nunca viu e nem sabe o que são R$ 300 mil. Como é que ele vai tirar, de uma fabriqueta de fundo de quintal, R$ 300 mil para pagar? É impossível. Então ele desmancha a fábrica, tudo que ele tem ele paga, e ainda fica inadimplente. Isso ocorre aos milhares.”

Acerca das declarações, a Anamatra e o Colégio de Presidentes e Corregedores da Justiça do Trabalho do Brasil emitiram nota conjunta classificando de “mentirosa” a afirmação de Calmon de que a JT estaria aparelhada.

Fonte: Migalhas

 

30 novas profissões que podem surgir nos próximos 10 anos

aldir

O avanço dos sistemas de computadores tem feito muita gente ficar com medo de perder o emprego para uma máquina. Apesar de o desaparecimento de algumas profissões ser uma possibilidade, especialistas trazem boas notícias até para quem está pessimista em relação ao futuro.

Um levantamento realizado pelo Senai e divulgado nesta semana aponta que pelo menos 30 novas profissões devem nascer no próximo ano em oito áreas. As profissões, que ainda não existem, vão precisar de empregados qualificados.

Assim, para quem está de olho no futuro, pode ser uma boa ideia se especializar a partir de agora, adquirindo a qualificação necessária para conseguir se manter no mercado de trabalho e, quem sabe, ganhar bastante dinheiro. Confira as novas ocupações que podem surgir:

Automotiva

  • Mecânico de veículos híbridos
  • Mecânico especialista em telemetria
  • Programador de unidades de controles eletrônicos
  • Técnico em informática veicular
  • Tecnologia da Informação e Comunicação

Analista de internet das coisas

  • Engenheiro de cibersegurança
  • Analista de segurança e defesa digital
  • Especialista em Big Data
  • Engenheiro de software

Alimentos e bebidas

  • Técnico em impressão de alimentos
  • Especialista em aplicações de TIC para rastreabilidade de alimentos
  • Especialista em aplicações de embalagens para alimentos

Máquinas e ferramentas

  • Projetista para tecnologias 3D
  • Operador de High SpeedMachine
  • Programador de ferramentas CAD/CAM/CAE/CAI
  • Tecnologia de manutenção em automação

Construção Civil

  • Integrador de sistema de automação predial
  • Técnico de construção seca
  • Técnico em automação predial
  • Gestor de logística de canteiro de obras
  • Instalador de sistema de automação predial

Química

  • Técnico em análises químicas com especialização em análises instrumentais automatizadas
  • Técnico especialista no desenvolvimento de produtos poliméricos
  • Técnico especialista em reciclagem de produtos poliméricos

Têxtil e Vestuário

  • Técnico de projetos de produtos de moda
  • Engenheiro em fibras têxteis
  • Designer de tecidos avançados

Petróleo e Gás

  • Especialista em técnicas de perfuração
  • Especialista em sismologias e geofísica de poços
  • Especialistas para recuperação avançada de petróleo

     Fonte: Yahoo Noticias

 

Deputados subservientes ao Palácio dos Leões são também responsáveis pelo rombo no FEPA

                  aldir

  Há duas semanas, o governador Flávio Dino retirou mais de R$ 400 milhões de aplicações do Fepa, causando prejuízos aos rendimentos. A base governista, que é maioria na Assembleia Legislativa, manobrou – em nome do governador Flávio Dino – para ocultar informações referentes ao sistema previdenciário do Estado. Nesta semana, foram rejeitados dois requerimentos, que solicitavam ao presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado do Maranhão (Iprev), Joel Benin, e à secretária Lilian Guimarães, titular da Secretaria de Estado da Gestão, Patrimônio e Assistência dos Servidores (Segep), esclarecimentos sobre a real situação do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Fepa).

Há duas semanas, o governador Flávio Dino retirou mais de R$ 400 milhões de aplicações do Fepa, causando prejuízos aos rendimentos. Antes, ele já havia remanejado recursos do Fundo para outras áreas do governo. Diante dessa situação, parlamentares de oposição solicitaram informações referentes ao Fepa e sobre os atos da gestão administrativo-financeira do Iprev, o que foi rejeitado pela maioria.

Ressaltamos que um dos papéis da Assembleia Legislativa é fiscalizar o Poder Executivo. Uma vez que a maioria dos parlamentares vota contra requerimentos que solicitam informações, o Poder Legislativo exime-se de uma das suas funções, e oculta dos servidores públicos estaduais, dados pertinentes ao sistema previdenciário do Estado.

Por inúmeras vezes, o SINTSEP alertou sobre a situação do Fepa, que nos últimos anos vem apresentando uma despesa maior do que a arrecadação. Ou seja, o que está sendo arrecadado através do servidor público que está na ativa é inferior ao que é gasto com os servidores aposentados e pensionistas.

Vale lembrar, também, que o Governo do Estado manobrou para retirar do Conselho Superior do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Consup) o representante do SINTSEP, facilitando a aprovação de medidas contra os interesses dos servidores. O conselheiro do SINTSEP foi substituído por um do Sinproesemma.

O Fórum de Defesa das Carreiras do Poder Executivo vai encaminhar ofício ao Iprev e à Segep, solicitando informações detalhadas sobre a arrecadação e a despesa do Fepa, que deveriam estar no Portal da Transparência. Esse pedido já foi feito anteriormente pelo SINTSEP ao Ministério Público do Estado, ao Ministério Público do Tribunal de Contas, à própria Segep e à Secretaria de Transparência e Controle, mas, todos, sem resposta.

Os servidores públicos estaduais têm o direito de saber qual a real situação do sistema previdenciário do Estado, haja vista que estamos tratando do futuro de milhares de trabalhadores!

Fonte: SINTSEP Noticias

 

Congressistas querem aumentar seus salário e elevar para R$ 38 mil o teto constitucional após as eleições

aldir

É cada dia mais forte no Congresso a corrente que carrega a ideia de articular uma elevação nos salários de deputados e senadores já a partir da próxima legislatura — que começa em 1 de janeiro de 2019.

No centro do debate estão os ministros do STF, insatisfeitos com a decisão de Carmen Lúcia, presidente da Corte, de não propor aumento novamente para o próximo ano. As informações são Andreza Matais, do Estadão.

A ideia dos parlamentares é de passar o teto constitucional dos atuais R$ 33,7 mil para R$ 38 mil, aumento de 12%. O reajuste de R$ 4,3 mil é o exato valor do auxílio-moradia, que “deixaria de existir” ao ser incorporado diretamente no salário dos magistrados.

O debate em torno das modificações de salários não é coisa nova em período eleitoral. O ultimo aumento do teto constitucional aconteceu justamente em dezembro de 2014, quando a ex-presidente Dilma Rousseff já havia sido reeleita e a nova legislatura estava próxima. À época, o aumento foi de R$ 29,4 mil para os atuais R$ 33,7 mil — aumento de 13A ideia dos parlamentares é colocar o novo reajuste em votação apenas após as eleições, quando já tiverem sido vencedores nas urnas.

Agência Senado

Rodoviários e empresários não se entendemno Ministério do Trabalho e greve a vista

Rodoviários e empresários participaram hoje (17), da Audiência de Mediação convocada pelo Ministério do Trabalho. O encontro foi conduzido por Mônica Duailibe, Auditora Fiscal do Trabalho e estiveram presentes representantes do sindicato patronal (SET), sindicato dos Rodoviários, do Consórcio Upaon-Açu, da Prefeitura de São Luís e da Agência de Mobilidade Urbana (MOB). O problema entre as duas categorias reside no cumprimento de um acordo de trabalho, que não estaria sendo honrado pela categoria patronal.

 

aldir

O contexto dos desentendimentos entre rodoviários e empresários seria por falta de cumprimento de acordo trabalhista, em que estão contemplados pagamentos de salários em datas estabelecidas por acordo, cesta básica, plano de saúde e outros diretos constante do documento assinado entre as partes.

Os empresários em sua maioria não vêm honrando com os pagamentos dentro do que foi celebrado entre as partes. A justificativa é que os valores das passagens dos coletivos estão proporcionando sérios prejuízos a classe empresarial, impedindo que possa honrar com os seus compromissos, daí a necessidade de aumento para as tarifas. Por outro lado, como se sentem prejudicados, os rodoviários vão para o confronto, o que acaba criando um sério conflito e aberto um grande espaço para reajustes das tarifas dos coletivos, transferindo-se assim para a população o ônus decorrente de articulação entre as duas categorias e por fora contam importantes apoios políticos.

Recentemente, o vereador Cézar Bombeiro se manifestou contra qualquer tentativa de reajuste de tarifa de coletivos, tendo o secretário Canindé Barros se expressado em uma emissora de rádio, que a manifestação do vereador era decorrente de não ter o que fazer no legislativo municipal.

Na realidade o secretário Canindé Barros estava bastante contrariado com o vereador por ter sido aprovada pela Câmara Municipal uma lei de sua autoria, que obriga o município mostrar no Portal da Transparência da Prefeitura de São Luís, os valores arrecadados com as multas de trânsito e prestar contas de como são aplicados os recursos, além da obrigatoriedade de vários serviços para a melhoria dos serviços de trânsito de São Luís.

Parte superior do formulário

 

 

 

Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário

 

 

Cézar Bombeiro visita a creche Maria de Jesus Carvalho vê administração séria e falta de apoio do poder público

                aldir  

O vereador Cézar Bombeiro visitou a creche escola professora Maria de Jesus Carvalho, acompanhado do diretor Aquiles Berredo, administrador admirado pelos pais de alunos e segmentos comunitáriosda Camboa e da Liberdade.

 

Atendendo preocupações de pais de crianças que estudam na creche escola professora Maria de Jesus Carvalho, o vereador Cézar Bombeiro esteve visitando o estabelecimento que faz parte da rede municipal de educação.

Os pais das 410 crianças entre 03 e 05 anos atendidas pela creche escola em tempo integral das 8 horas à 17 horas ,situada no bairro da Camboa, destacam que o diretor Aquiles Berredo, administra a unidade com muita competência e zelo, o que realmente foi confirmado pelo vereador que conheceu todo o interior e viu uma realidade muito difícil de ser encontrada em qualquer escola municipal, mas precisa de importantes aportes de serviços para melhorias dentro e fora da parte física do prédio. O vereador conheceu sala para atendimento médico pediátrico e fisioterapia, local amplo para aulas de balé, além de locais próprios para recreação com grande brinquedoteca.  O diretor Aquiles Berredo disse ao vereador Cézar Bombeiro, que a unidade atende 18 crianças com acompanhamento especializado.

O vereador Cézar Bombeiro valorizou bastante a atitude do diretor, diante de um problema surgido na cisterna do prédio e proibiu todas as pessoas da creche escola de tomar água do local e os pais assumiram a responsabilidade de levar água potável para o estabelecimento e envolveu inúmeros voluntários, dentre eles um chegou a doar 30 garrafões de 20 litros. A informação chegou até ao vereador através de vários pais de famílias que atuam de perto em defesa do bom funcionamento da creche escola.  Há necessidade urgente de reconstrução da cisterna, antes do reinicio das aulas no dia primeiro de agosto e as obras ainda não têm data para inicio, o que é bastante preocupante, uma vez que sem água de qualidade ficará impossível de funcionamento do estabelecimento com 410 alunos em tempo integral e com corpo considerável de servidores.

                          São contra a transferência para reforma do prédio

Os pais de alunosestão preocupados com uma proposta  da prefeitura de que a creche escola seja transferida para um outro local por 150 dias para passar por uma reforma ampla. Será uma perda irreparável para as crianças, além da séria dúvida de que o trabalho seja feito efetivamente dentro do prazo estabelecido. Um grupo de mães disse hoje ao vereador Cézar Bombeiro, que conhecem escolas do município que entraram na conversade uma reforma igual a que está sendo proposta e quase três anos ainda não conseguiram retornar, em razão da prefeitura não ter honrado com a promessa.

A bem da verdade, todas elas têm as suas preocupações, levando-se em conta que a Prefeitura de São Luís assinou um Termo de Ajuste de Conduta com o Ministério Público para fazer reformas em 52 escolas e até hoje ainda não conseguiu honrar o compromisso.

Há poucos dias os professores da rede municipal de ensino através do SINDEDUCAÇÃO, denunciaram publicamente que dezenas de escolas do ensino infantil estão abandonadas e sem a mínima condição de professores lecionarem e alunos aprenderem.

A preocupação dos pais da creche escola professora Maria de Jesus Carvalho, é o temor de que a transferência da unidade para outro local, seja a total destruição de um estabelecimento de qualidade e que conta com uma direção competente e responsável e o apoio dos pais alunos e das comunidades da área da Câmboa e da Liberdade, não apenas como voluntários, mas com o compromisso de manter a qualidade de ensino existente hoje, afirmou o vereador Cézar Bombeiro.